Documentário sobre as bordadeiras e rendeiras é lançado no Museu da Inconfidência

Publicado em 07/02/2020 às 11:26 por Redação
Por Nízea Coelho.
O filme foi produzido pela assessoria de comunicação da Prefeitura de Ouro Preto

Perto de celebrar 40 anos como Patrimônio Cultural da Humanidade e lembrar o tricentenário da Sedição de Vila Rica, que marca o “nascimento de Minas”, Ouro Preto registra como bem imaterial do município o ofício das bordadeiras e rendeiras. Para registrar esse ofício, a assessoria de comunicação da Prefeitura de Ouro Preto produziu o documentário “Bordando o Patrimônio - Costurando Memórias”, que teve seu lançamento na sexta-feira, 31 de janeiro, no anexo do Museu da Inconfidência.

O documentário foi essencial para a concessão do título de Patrimônio Imaterial ao “Ofício de Bordadeira e Rendeiras de Ouro Preto”, segundo Pedro Augusto, assessor da Secretaria de Cultura e Patrimônio da Prefeitura de Ouro Preto e pesquisador responsável pelo documentário. “O documentário mostra pessoas reais em seu cotidiano, valorizando este ofício centenário. Isso é de suma importância para o Município, considerando que Ouro Preto e o bordado estão ligados desde tempos coloniais, cuja técnica foi amplamente utilizada nos enxovais e em paramentos litúrgico”, explica Pedro.

Na última sexta (31), foi realizada a entrega do título de patrimônio imaterial do “Ofício de Bordadeira e Rendeiras de Ouro Preto”. Para o secretário de Cultura e Patrimônio, Zaqueu Astoni, foi uma tarde de muita emoção e alegria com a participação de várias associações. “Na ocasião, foi feito o lançamento do documentário, que possui uma qualidade técnica enorme, e que apresentou toda a importância e a evolução do bordado e da renda de Ouro Preto. Um ofício que serve de sustento para diversas famílias, com uma importância muito grande em toda a cadeira da economia criativa da cidade. Quero aqui registrar reconhecimento e nosso agradecimento ao Gilson, ao Fabiano e ao Pedro Augusto, que trabalharam de maneira árdua para execução desse documentário. Tenho certeza que será um sucesso e uma referência para ofício de bordadeira e rendeira”, comenta.

O diretor do curta, Fabiano Souza, ficou emocionado na exibição. “Foi um orgulho ter feito o documentário e fazer parte dessa história. As pessoas entrevistadas, que no seu dia-a-dia se dedicam a fazer o bordado com alegria, nos passaram uma lição de vida. Dá vontade de chorar ao ouvir uma pessoa falar que não tinha nada e agora, já idosa, tem como fonte de renda o bordado, com o retorno pela venda do seu trabalho”, afirma.

Gilson Fernandes, superintendente responsável pela assessoria de comunicação da Prefeitura de Ouro Preto e coordenador do documentário, explica que o filme foi todo gravado por celular. “Recebemos a solicitação da Secretaria de Cultura e Patrimônio para registrar em entrevistas um pouco da história das bordadeiras e rendeiras. A partir daí nos surpreendemos com a riqueza dos depoimentos”, informa.

Ficha Técnica


Direção: Fabiano Souza

Pesquisa: Pedro Augusto Rodrigues

Imagens: Fabiano Souza e Gilson Fernandes

Divulgação: Nízea Coelho

Edição: Fabiano Souza

Coordenação: Gilson Fernandes

Clique aqui para assistir ao documentário

Fonte: Prefeitura Municipal de Ouro Preto
PUBLICIDADE

Famílias seguem sendo beneficiadas com cestas básicas em Ouro Preto

Conselheiro Lafaiete libera verba para hospital de campanha


PUBLICIDADE
COTAÇÃO HOJE

Número de viagens canceladas chega a 85%, e entidade já fala em falência de...

Pediatra ensina como fazer máscara de proteção com materiais simples

O TRIBUNA LIVRE

Direção e Proprietária: Marisa Hilário
Editoração gráfica: Tribuna Livre
Direção de mídia: Ina Caram.

Colaboradores do jornal impresso e do site:
Organização interna: Izabel Hilário
Administrador e publicitário: Jorge Hilário
Maria do Carmo Batista (in memorian)

REDES SOCIAIS

Tribuna Livre — Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Dash_