A verdade por trás do dia da Mulher

Publicado em 10/03/2019 às 22:07 por Redação
Dia da Mulher?

Agradeço os parabéns que recebemos, mas de que adianta isto?

A mulher conquistou seu espaço no mercado de trabalho, mas segundo as estatísticas, a desigualdade continua. Hoje mesmo vi na T.V. a diferença no mercado de trabalho onde a mulher ganha pela mesma função exercida pelo homem cerca de mais de 25/ porcento a menos que o homem.

A mulher acumulou foi funções, principalmente as que são casadas. Elas saem para trabalhar, olham a casa, levam crianças para serem educadas em creches e não aquela educação que se recebe de pai e mãe. Ajudam nas despesas da casa, chegam cansadas, tem que olhar os filhos e ainda estarem prontas, cheirosas e preparadas para o marido.

A violência contra elas cresceu de forma avassaladora. O feminicidio veio a tona, sempre existiu. Muitas ao sentir esta liberdade que é um direito, migraram para um comportamento nocivo tentando imitar os homens, bebendo, gritando palavrões, pelo menos é o que assisto aqui entre muitas universitárias em Ouro Preto.

São traídas mas perdoam, porque acham que o homem vai mudar por ela, ledo engano, pau que nasce torto nunca se endireita.

Apanham, procuram a Lei Maria da Penha e na hora da audiência o que fazem? Retiram a queixa, com o argumento: "Não, ele me espancou mas é pai dos meus filhos". Outras realizam seu sonho, se formam, vão trabalhar, mas como já abordei aqui, ganham menos, uma concorrência desleal.

A mulher é vítima de si mesma muitas vezes, a não ser às que são inteligentes e se respeitam. Tocam o caso para frente, ou não mais aceitam serem desrespeitadas, traídas. Parabéns é pouco, preferimos ser respeitadas. Preferimos que a sociedade não nos enxerguem como frágeis, porque somos fortes.

Mulheres não sãofrágei são sensíveis. Não são razão, são coração. Não carregam peso, mas carregam fardos da família, do filhos, do marido, da mãe e de todos. Mais do que parabéns, preferimos igualdade, respeito e muito amor. Muitas vezes são abusadas, estupradas e pagam fiança e o homem fica livre.

Sabe quando isto vai mudar? No dia que cada mulher entender seu valor na sociedade independente de homens. Formar casais é lindo e quantas famílias são bem sucedidas, justamente porque homem que tem caráter, sabe o valor da mulher que tem.

Acordem, nós podemos mais, não precisamos competir com os homens, precisamos apenas nos respeitar e colocar em prática isto. Solidificar a união com os homens, mas exigir mais os nossos direitos. O que seria do mundo sem a mulher? Não haveriam filhos, os homens não teriam tanto sentido para viver.

O que não podemos ser, como disse o poeta: "Nós somos as inorgânicas, frias estátuas de talco, com hálito de champanhe e pernas de salto alto". Não. Nós sempre iremos a luta, mostrar nossas capacidades, mostrar que podemos fazer e exigir nossos direitos e respeito.

Parabéns só não vale, é frase feita, queremos mais e não vamos desistir pois, chegamos até aqui com muito esforço e vamos em frente, com o coração aberto para que a desigualdade acabe de uma vez. Somos sensíveis, mas ninguém pode com a nossa força.

*Marisa Hilário
PUBLICIDADE

Fé, Cultura e Arte levam milhares de moradores e turistas às ruas de Ouro...

Prefeitura de Lafaiete realiza limpeza de bueiros e faz alerta


PUBLICIDADE
COTAÇÃO HOJE

Marcelo Crivella, prefeito do Rio, manda recolher livro da Bienal e gera...

Saiba como investir em bitcoin, moeda mais valorizada no mercado mundial

O TRIBUNA LIVRE

Direção e Proprietária: Marisa Hilário
Editoração gráfica: Tribuna Livre
Direção de mídia: Ina Caram.

Colaboradores do jornal impresso e do site:
Organização interna: Izabel Hilário
Administrador e publicitário: Jorge Hilário
Maria do Carmo Batista (in memorian)

REDES SOCIAIS

Tribuna Livre — Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Dash_