Inauguração de novos leitos marca aniversário de 60 anos do Hospital Bom Jesus em Congonhas

Publicado em 09/06/2019 às 12:18 por Redação
O Hospital Bom Jesus, de Congonhas dispõe agora, de 13 novos leitos cirúrgicos e de um novo hall de entrada. Na sexta-feira, 30/05, aconteceu a inauguração oficial da expansão da ala cirúrgica marca não só os 60 anos da instituição, mas também uma série de outras conquistas que em breve estarão à serviço da comunidade, como os centros de Imagem e de Terapia Intensiva. A obra foi orçada em R$ 350 mil.

Além da população, de médicos, enfermeiros e funcionários do HBJ, estiveram presentes o prefeito Zelinho; o secretário de Saúde, Luiz Fernando Catizane Soares; o presidente da Câmara Igor Jonas Souza Costa e o vereador Eduardo Matosinhos; O diretor do Instituto Laborare, empresa que administra o Hospital Bom Jesus, Tiago Lucas da Cunha; os membros da Comissão Interventora, Rafael Geraldo Cordeiro, Marco Aurélio da Silva e Henrique Marani; a representante da Superintendência Regional de Saúde de Barbacena, Ângela Maria Goulart; a secretária executiva do Consórcio Intermunicipal de Saúde da Rede de Urgência Centro-Sul (CISRU) de Minas Gerais, Ormezinda M. Barbosa; e o diretor do corpo clínico do HBJ, Bernardo Martins.

O espaço, antes ocupado por uma clínica particular, agora conta com infraestrutura necessária para um atendimento altamente qualificado e humanizado. A partir de agora, será possível ampliar o número de cirurgias e de novas internações, além de reduzir as filas de espera do SUS para procedimentos cirúrgicos eletivos e de média complexidade. Já o novo hall de entrada vai melhorar o fluxo e controle de circulação interna. Será a porta de acesso para pacientes na pré-internação, visitantes, acompanhantes, funcionários e corpo clínico.

Congonhas se tornará sede de uma Microrregional de Saúde, terá uma Unidade de Suporte Avançado (USA) e contará com um prédio próprio para as clínicas da Criança e da Mulher (que entrará em fase de licitação). Essas são algumas das conquistas para a área da saúde apontadas pelo prefeito Zelinho, que ressaltou ainda o trabalho realizado na atenção básica no Município.

O Chefe do Executivo também pontuou que, atualmente, o Hospital Bom Jesus conta com 70 leitos e que, após todas as obras, terá 120. Para ele, essa conquista foi possível devido ao trabalho realizado junto à comissão interventora, que começou suas atividades em 2014. “Com os avanços que fomos conquistando, vimos que precisávamos ficar mais um pouco. Nossa data limite já está marcada, será no ano que vem. O promotor de justiça já está analisando toda a documentação para fazer uma eleição e entregarmos o Hospital a um provedor, para dar continuidade à administração. A intervenção foi importante naquele momento”, explicou.

O secretário de Saúde, Luiz Fernando Catizane, destacou que Congonhas é uma referência em saúde para toda a região. Também observou que maio é relevante na história do Hospital Bom Jesus, pois não só é o mês de aniversário da instituição – que, este ano, celebra 60 anos -, mas também marca o início da intervenção da Prefeitura e, agora, a expansão da ala cirúrgica. “Essa obra realmente vai trazer alento aos familiares, trazer mais conforto, resolutividade e também retomar o crescimento do Hospital, que, sabemos, está na rota correta. Maio é um mês que temos que lembrar com muito carinho”, completou.

Para o diretor do Instituto Laborare, empresa que administra o Hospital Bom Jesus, Tiago Lucas da Cunha, o momento também foi marcante para a história da instituição: “Sem dúvida nenhuma estamos fazendo neste momento, a maior transformação da história do HBJ. Agradeço o apoio da Prefeitura. Sabemos que Minas Gerais passa por uma das maiores crises de sua história, e na saúde isso fica muito latente. Vemos as dificuldades que os hospitais filantrópicos vêm passando nesses últimos tempos, e o Hospital Bom Jesus, em parceria com a Prefeitura de Congonhas, está na contramão de vários hospitais do estado. Congonhas não precisa de um novo hospital, precisa de um novo HBJ, que é o que estamos fazendo aqui”.

Representando o corpo clínico do Hospital, o membro da Comissão Interventora, Rafael Geraldo Cordeiro, ressaltou que muitos hospitais brasileiros têm dificuldade para se manter, mas em Congonhas ocorre investimento de dinheiro público na área. “A Prefeitura tem feito a sua parte e nós também temos tentando fazer a nossa. Nós, médicos, temos a missão de minimizar danos, melhorar as dores e, de às vezes, prolongar a chegada da morte dos nossos queridos pacientes. Quando se coloca dinheiro público para ajudar uma entidade como essa, indiretamente se está minimizando dores e ajudando a curar as doenças de algumas pessoas. Aqui foi a preferência para que se colocasse dinheiro público, para que se faça um novo Hospital Bom Jesus. É um trabalho sério, duro, que vem sendo feito desde 2014 com a intervenção, com ajuda dos funcionários e do corpo clínico, para melhorar a cada dia assistência da nossa população”, concluiu.

O presidente da Câmara, Igor Jonas Souza Costa, destacou que essa obra entrará para a história da cidade, realizando o sonho da população de Congonhas.Membros do Conselho Municipal de Saúde, Ermezindo Ribeiro e José Eustáquio visitaram as novas dependências e reconheceram sua importância para a comunidade. “Congonhas merecia isso há bastante tempo. Para nós é um motivo de muita alegria porque sabemos que o povo está sendo valorizado na questão da saúde. O povo de Congonhas vai sentir mais conforto, mais alívio, não vai precisar ir para outras cidades porque aqui teremos o que realmente precisamos. Todos aqueles que se empenharam para ter esse momento aqui estão de parabéns”, disseram.

O Hospital Bom Jesus contará com um novo complexo hospitalar, que disponibilizará para a população. Ainda este ano será inaugurado o Centro de Imagens, com instalação de tomógrafo e prestação de outros serviços, como ultrassom, endoscopia e demais exames. O recurso da ordem de R$ 1.290.683,35 para a sua aquisição foi garantido após a assinatura do Termo Aditivo ao Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), entre o Ministério Público Federal (MPF) e a Ferrous Resource do Brasil S/A.

Em 2020 será a vez do tão sonhado e aguardado Centro de Terapia Intensiva (CTI), do novo Bloco Cirúrgico e da área de utilidades. Os recursos são da ordem de R$ 5.200.000, repassados pela Prefeitura de Congonhas à instituição hospitalar.
PUBLICIDADE

Ouro Preto terá novo fórum em 2020

Comissão de Direitos Humanos da Câmara acompanhará crise em presídio

COTAÇÃO HOJE

Após manifestações, governo libera R$ 1,58 bilhão para o Ministério da...

Atores da série Grey’s Anatomy aderem à campanha #EleNão

O TRIBUNA LIVRE

Direção e Proprietária: Marisa Hilário
Editoração gráfica: Tribuna Livre
Direção de mídia: Ina Caram.

Colaboradores do jornal impresso e do site:
Organização interna: Izabel Hilário
Administrador e publicitário: Jorge Hilário
Maria do Carmo Batista (in memorian)

REDES SOCIAIS

Tribuna Livre — Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Dash_